quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Laços, Fitas, Bolas. Estrelas, Anjos, Presentes. Sorrisos, Doces, Frenesim. Festa, Família, Presépio. Alegria, Bacalhau, Luzes. Perú, Brigadeiros, Azevinho. Brinquedos, Compras, Cozinha. Mãe, Pai, Mana. Avós, Tios, Primos. Amigos, Postais, Canções. Roupa nova, Filmes, Pai Natal. Enfeites, Neve, Bolo-Rei. Verde, Vermelho, Branco. Prateado, Dourado, Brilho.


Há tanto para dizer do Natal... =) Que é uma época de consumismo, é do que mais se ouve. Que é hipócrita, dizem outros... Pode ser, mas se servir para que ao menos uma vez por ano nos lembremos de quem gostamos e até de quem não conhecemos mas precisa de nós... Óptimo! Se conseguirmos fazer do nosso coração um presépio onde Jesus possa nascer no mínimo com o conforto das palhinhas e o calor da vaca e do burrinho... Perfeito!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007


Chegaste de mãos vazias e perdi o dom de te perceber pelo olhar. Não sei decifrar se trazes um coração cheio por detrás desse meio sorriso que me esboças. Pedes o café da praxe, vejo-te abrir o pacote, deitar o açúcar e sei o que se segue. Vais dar voltas completas á chávena, bater a colher três vezes e pousá-la no pires, recolher com a ponta do dedo os grãos de açúcar e respirar fundo, como quem ganha balanço para um salto. Sei deslindar os jogos da nossa relação desde o primeiro momento e muitas vezes pergunto-me se contigo será igual. Sou transparente? Consegues ler-me como um livro aberto? Se não consegues é porque nunca te deste ao trabalho de folhear-me e se é assim... Porque insistimos? Gosto de te pintar com as cores do meu (nosso) amor. Gosto mesmo. E amo-te nessa mistura pigmentada e perfeita que reflecte tanto de mim. Cada traço dos teus movimentos faz eco e fica, mesmo muito tempo depois de te ires. É isto que me faz perceber que te amo, que pertences aqui e que pertenço aí, entre os teus dedos. Sei andar só pelos caminhos, mas as flores ganham novos cheiros quando vistas pelos teus olhos.


Oia surpresa! =D Espero que gostes meu amor. *Ana


Posted by Guga... =D

A Joaninha quis um texto da minha autoria para o seu blog.
Apelei ás ninfas do tejo e ás poias que la boiam sem rumo nem norte.
Mas nada...nada feito Joaninha.
Lembrei-me de dizer o quao feliz estou por esta nossa amizade ter desabrochado(oi?) qual papoila saltitante.
Lamento o tempo perdido a pensar que eras uma pessoa que não valia a pena conhecer,afinal estava errado.
Desde o principio do ano tenho vindo a conhecer uuma pessoa ,que com outras 4 ou 5 la na faculdade,se tornaram o meu mundinho,pessoas que não quero dispensar.
Houve pessoas que me decepcionaram mas não vale a pena falar delas,mas sim daquelas que se tornaram muito importantes para nós e tu és uma delas..
Mas isto é para aparvalhar e portanto eu vou-me declarar-me a ti.
“Vi-te na estradâ,´tavas apanhando hortelâ...eu gosto de ti..e tu?hâ?”


Degredo total...


by Guga e a merecer resposta... LOOOOOOOOOOOOOL