segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Shiuuu!


Acho graça quando a Ana ralha comigo pela minha relação com a escrita. E agora que ponho as coisas em termos de relação, diria mesmo que a nossa é de amor-ódio. Enquanto vagueio entre pensamentos e sentimentos, as palavras dançam por aqui... Uma daqui, outra dacolá, e depressa se monta um texto que tenta escapar à força de uma lágrima. E aí entro eu. Sempre pronta a travar os dedos, sempre relutante em encostar a caneta no papel. Tenho dores fechadas em caixinhas e enquanto a escrita teima em libertá-las, eu cerro os punhos e os dentes para não as deixar fugir. Se é bom, se é mau, se é defesa ou cobardia, não sei. Sei que é assim que se vai passando. Ou ficando.

...Como um emaranhado de cordões que me entrelaça o peito!

2 comentários:

guga disse...

e nós gostamos de ti assim.

Ana disse...

Sabes uma coisa? Eu gosto do teu emaranhado. Gosto do ralhar consentido e de tudo o q és em mim. À vista desarmada um nó. Para mim? Para mim és um laço daqueles q ninguém desatará, jamais.
=)

(maneira desajeitada de dizer Amo-te, faço-me entender?!)